sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Cais


Submerso no esplendor da vida
Dessa ilusão de dores tão reais
Vou navegando em busca de um cais
Em rota cega e desconhecida
Mas a esperança não está perdida
E nem o estímulo para navegar
Mesmo que nunca possa encontrar
Um porto firme para meu navio
Fico à deriva como um desafio
De ter um sonho pra realizar
Paulo Viana

3 comentários:

Luciana Dimarzio disse...

Lindíssima poesia, Paulo! Adorei!! Grande abraço

Paulo Viana disse...

Obrigado, Luciana. Vindo de você para mim tem grande importância. Um abraço.

Sávio Pinheiro disse...

Martelando em busca de um cais. Genial. Um abraço, Paulinho.